16 de out de 2015

POR QUE DEVEMOS CUIDAR BEM DE NOSSOS PROFESSORES? PARA ESCAPARMOS DA BARBÁRIE.






Quando esse tipo de pergunta surge, há de se concordar que algo está errado em nossa sociedade. Se os professores não estão incluídas naquela parcela de nossa sociedade que merece respeito e honrarias, não haverá uma civilização para se celebrar futuramente. Posto que, o professor, em sua função de ensinar está incumbido de transmitir práticas e hábitos que tornem aquilo que chamamos de uma  humanidade menos opressora, menos cruel. Dito isto, gostaria de compartilhar um trecho do texto: “As funções de um professor”, escrito por Bertrand Russell:
            “Quando se observa este cortejo como um todo, sobressaem alguns homens dignos de admiração. Uns foram inspirados pelo amor da humanidade, outros ajudaram-nos com sua superioridade intelectual a compreender o mundo em que vivemos, outros ainda, mercê de uma excepcional sensibilidade, criaram beleza. Esses homens fizeram algo positivamente bom, capaz de ultrapassar a longa lista de crueldade, opressão e superstições. Fizeram tudo o que estava ao seu alcance para transformar a vida humana em algo mais do que uma breve turbulência de selvagens. O homem civilizado é aquele que, quando não pode admirar, aspira mais a compreender do que a reprovar. Nesse sentido, procura descobrir e remover as causas impessoais do mal do que odiar quem se encontra preso nas suas garras. Tudo isso deve fazer parte do espírito e do coração do professor, pois que, se assim for, tudo isso será transmitido durante o ensino aos jovens que estão sob cuidados desse professor.”

E se não cuidarmos de nossos professores, que tipo de futuro nos espera? Há também nesse texto uma visão do que pode acontecer se passarmos por uma situação em que ser professor é uma tarefa de castração de pensamento, Russel nos adverte:
“Mesmo assim, nos países totalitários, espera-se que o professor, ao ensinar essas matérias [tabuada e ler], não utilize métodos que lhe pareçam mais ajustados para alcançar os resultados escolares pretendidos, mas que inculque nos seus alunos medo, subserviência, obediência acrítica, exigindo-lhes uma indiscutível submissão à sua autoridade. E, quando se ultrapassa o nível elementar, então o professor é obrigado a adoptar a perspectiva oficial em todas as questões controversas. É por esta razão que na Alemanha Nazi, e ainda hoje na Rússia, os jovens se transformaram em fanáticos intolerantes, ignorantes relativamente ao mundo exterior ao seu próprio país, totalmente desacostumados de uma discussão livre e incapazes de aceitar que suas opiniões possam ser postas em causa sem que seja por efeito de um espírito malévolo.”
            Por que devemos preservar nossos professores? Simplesmente para que o futuro não seja algo como  aquele desenhado pelo torturador de 1984 de George Orwell:
ão haverá lealdade, exceto lealdade ao Partido. Não haverá amor, exceto amor ao Grande Irmão. Não haverá riso, exceto o riso de vitória sobre o inimigo derrotado. Não haverá nem arte, nem literatura, nem ciência. Quando formos onipotentes, não teremos mais necessidade de ciência. Não haverá mais distinção entre a beleza e a feiúra. Não haverá curiosidade, nem fruição do processo da vida. Todos os prazeres concorrentes serão destruídos. Mas sempre… não te esqueças, Winston… sempre haverá a embriaguez do poder, constantemente crescendo e constantemente se tornando mais sutil. Sempre, a todo momento, haverá o gozo da vitória, a sensação de pisar um inimigo inerme. Se queres uma imagem do futuro, pensa numa bota pisando um rosto humano – para sempre.

[…]

E lembra-te de que é para sempre. O rosto estará sempre ali para ser pisado. O herege, o inimigo da sociedade, ali estará sempre, para ser sempre derrotado e humilhado.

Ps . Há no texto de Russell uma desvinculação entre o saber a política, algo que eu não concordo. Para Russell a ciência é o saber podem ser associados a um tipo de neutralidade para com a política. Poucos são os pensadores que concordariam com isso em nossos dias.
PPs. Aos professores. Façam o favor a si mesmos e a vossa categoria: parem de vincular nossa profissão a algum tipo de vocação sacerdotal. É justamente esse tipo de pensamento que justifica o baixo salário da categoria, já que se considera que o que os professorem fazem é caridade. Sejamos mais francos: há bons professores e professores ruins. Não se pode estabelecer uma relação moral aqui. Ser professor e ser profissional e por isso merece todo o respeito e não porque são enviados por anjos para ministrar aulas!!!

PPPs. Gostaria de expressar minha sincera gratidão a todos os meu professores: formais e informais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não me deixe pensar que sou o dono da verdade. A conversa continua nos comentários