7 de jan de 2014

O CAMINHO JEDI E A FILOSOFIA ESTÓICA

A série Star Wars é uma das franquias do cinema mais bem sucedida da história. Há poucas pessoas que não conhecem as histórias e aventuras dos Jedis, ou até mesmo a figura icônica do Darth Vadder é inconfundível. 
George Lucas se inspirou muito no trabalho do Mitólogo Joseph Campbell para construir a jornada de seus heróis. Nesse livro, Campbell explora as características da jornada de todo herói. Leitura mais do que recomendada para entendermos esse tipo de arquétipo (Jung manda um abraço!). Para quem se interessar, há um documentário-entrevista no qual Campbell explica muitos dos conceitos do livro e a consultoria que ele prestou para George Lucas.











As bases narrativas de Star Wars são muito bem fundadas. Mas o tema deste post não se trata somente do filme. Ao ler o recém lançado Caminho do Jedi, pude notar uma aproximação muito íntima entre a "filosofia" Jedi e outra corrente filosófica real: o estoicismo. Neste livro podemos encontrar os cinco pilares que norteiam a conduta de um Jedi, todos encontrados na página 7 do mesmo guia.
1o - "Não há emoção, há paz - Esse princípio norteia todas as meditações e interações com os demais. Ele reafirma o ideal Jedi de agir com prudência e ver as ações dos demais através das lentes da Força Unificadora.
2o - Não há ignorãncia, há conhecimento - Aqueles que não entendem esse preceito básico logo sentem medo - e medo é o caminho para o lado negro. Os Arquivos representam a maior coleção de conhecimento da galáxia.
3o - Não há paixão, há serenidade - Uma tênue extrapolação do primeiro preceito, esse lembrete para agir sem paixão em qualquer deliberação se estende a obsessões pessoais e é uma advertência para não privilegiar o eu sobre a missão.
4o - Não há caos, há harmonia - Aqueles que não conseguem enxergar os fios que unem toda a forma de vida veem a existência como aleatória e sem propósito. Os Jedi percebem a estrutura e o sentido de todas as galáxias.
5o - Não há morte, há a Força - Todas as coisas morrem, mas a Força sobrevive a elas. Como seres que existem à sombra nessa forma não deve ser motivo de grande lamentação. Somos parte de uma energia maior que nós mesmos e desempenhamos papéis em uma trama cósmica que ultrapassa a nossa compreensão encarnada.

Dados os principais preceitos Jedi, se faz necessário aprendermos um pouco sobre a filosofia estóica.

A FILOSOFIA ESTÓICA

Zenão de Cício (ou Cítio), fundador da escola estóica, calma ele não é assim. Essa zueira é do pessoal dos Filósofos Obscenos .

A filosofia estóica é muito conhecida como sistema ético, mas ela não se resume só a isso. A escola de Zenão era também um espaço para o debate filosófico mais técnico: o estoicismo também trata de temas como a física, a lógica e ética. 

A física era um ramo importantíssimo da filosofia, mas não era concebida apenas como o estudo do movimentos dos corpos, ou as interações das forças que regem o nosso planete, etc. Na antiguidade o conceito de física era de physis, que no latim foi traduzido como natura  e estes conceitos tinham uma noção mais profunda: a realidade. Então quando os gregos estudavam physis, na verdade estavam a procura da verdades sobre a realidade, ou quando os latinos (romanos) estudavam a natureza eles estavam em busca da natureza das coisas, ou seja o que são as coisas, como elas se revelam, como elas se manifestam. 

A lógica era a ferramenta que os antigos tinham para construir seus raciocínios  e provarem a veracidade de suas proposições. Os estóicos desenvolveram uma lógica própria para o estudo da physis e também para não serem ludibriados por falsos argumentos. Usavam muito do método dialético, não era como a lógica formal aristotélica.

E por fim a sua ética, que é pautada pelos princípios  formulados na física e filtrados pela lógica. Há de se lembrar que os gregos, quando se dedicavam ao estudo, estudavam de forma holística, ou seja o aprendizado que se tem sobre a física não é isolado ele é parte de algo maior, não seccionado.

Os princípios do estoicismo são:

 1o - A Razão (logos in grego, ratio em latim), rege o mundo e todas as coisas do mundo, segundo uma ordem necessária e perfeita. Razão aqui não é a mesma razão que nós conhecemos, a razão dos estóicos se trata de logos, ou seja, aquilo que é causa e razão do mundo. Muito próximo daquilo que os cristãos conhecem como " O verbo se fez carne e viveu entre nós" João 1:14. Portanto não se trata de uma razão fria e calculista, mas de uma essência, uma substância que faz o mundo ser mundo e não o nada.

2o -  Assim como os animais se guiam pelo instinto, o homem se guia pela razão e a razão normas infalíveis de ação que constituem o direito natural. Ou seja, o homem participa daquele logos do primeiro preceito, então se ele se deixar guiar pelo logos, assim como o animal se deixar guiar pelo instinto ele estará no caminho certo. Daí, a máxima estóica: "torna-te aquilo que tu és!" 

3o - Condenação total das emoções e a apatia como ideal de um homem sábio. Apatia significa  ausência de emoções, mas o ideal estóico não é acabar com as emoções, mas agir de tal forma que as emoções não perturbem o logos, que a tribulações da vida não subjuguem as capacidades do homem de ser um só com o Logos. Ou seja, o sábio estóico é inabalável diante das dificuldades da vida;











4o - O homem não cidadão de uma pátria, mas cidadão do mundo, ou seja o sábio estóico é cosmopolita. 


ESTOICISMO E OS JEDIS: FINALMENTE!!!

Ao comparar os cincos preceitos Jedi com os princípios básicos do Estoicismo a aproximação é inevitável!
Vamos comparar:
1. Não há emoção, há paz
Relação direta com o ideal de apatia.
2. Não há ignorância, há conhecimento
Como vimos, o homem faz parte do logos, da razão, então basta se torna o que se deve ser para fugir da ignorância.
3. Não há paixão, há serenidade
Novamente. apatia.

(cuidado com o lado negro da força: a ira leva ao lado negro)


4. Não há caos, há harmonia
Como o mundo é regido pelo logos, segundo os estóicos, há sempre uma causa, e há sempre um fim para tudo que acontece nesse mundo.
5. Não há morte, há Força.
Um sábio estóico não teme a morte, pois sabe que isso é parte do Logos que rege a physis, então deve se manter inabalável perante a questão da morte.




E por fim, se você substituir a palavra Força, pela palavra Logos no vocabulário Jedi, perceberá que ela se encaixa perfeitamente.


Resumidamente:

1. Não há emoção, há paz. 2. Não há ignorância, há conhecimento. 3. Não há paixão. há serenidade. 4. Não há caos, há harmonia. . 5. Não há morte, há a força 

Virtudes Estoicas:
O estoicismo ensina o desenvolvimento do autocontrole e da firmeza como um meio de superar emoções destrutivas. Defende que tornar-se um pensador claro e imparcial permite compreender a razão universal (logos). Um aspecto fundamental do estoicismo envolve a melhoria da ética do indivíduo e de seu bem-estar moral: "A virtude consiste em um desejo que está de acordo com a natureza".5 Este princípio também se aplica ao contexto das relações interpessoais; "libertar-se da raiva, da inveja e do ciúme"6 e aceitar até mesmo os escravos como "iguais aos outros homens, porque todos os homens são igualmente produtos da natureza"

Para conhecer mais sobre o estoicismo, a leitura de Meditações do imperador Marco Aurélio é uma ótima pedida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não me deixe pensar que sou o dono da verdade. A conversa continua nos comentários