30 de nov de 2013

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA: COMO ISSO TE AFETA?








Sem delongas! Compare.

"Quem abre escolas, fechas presídios", Victor Hugo, Século XIX


"Uma vez eu estava em Nova York e ouvi uma palestra sobre a construção de prisões particulares – uma ampla indústria em crescimento nos Estados Unidos. A indústria de prisões precisa planejar o seu futuro crescimento – quantas celas precisarão? Quantos prisioneiros teremos daqui 15 anos? E eles descobriram que poderiam prever isso muito facilmente, usando um algoritmo bastante simples, baseado em perguntar a porcentagem de crianças de 10 e 11 anos que não conseguiam ler. E certamente não conseguiam ler por prazer." Neil Gaiman, 2013


Para ver a palestra toda visite esse site: http://papodehomem.com.br/neil-gaiman-e-o-poder-da-leitura/

29 de nov de 2013

UM DIA APÓS O FERIADO DE AÇÃO DE GRAÇAS NA FILADÉLFIA: A ORIGEM DO TERMO BLACK FRIDAY




O consumismo tem vários efeitos colaterais negativos em nossas vidas. Um deles é a diminuição ou extinção dos sentidos dados aos feriados  de cunho religioso, para simplesmente se tornarem um motivo de compra e venda. O representante máximo desse fenômeno é o Natal, celebrado pela maioria das comunidades cristãs. O que deveria ser a celebração do nascimento de Jesus Cristo virou apenas motivo para compra e venda de presentes. 

Embora o Natal seja o alvo campeão do esvaziamento de significado, há um debate muito intenso entre historiadores defendendo que essa dada foi criada como uma espécie de marketing pelo império romano na tentativa de tornar o cristianismo mais atraente para os novos adeptospois nessa época se comemorava o solstício de verão, foi uma forma de anexar o feriado de uma religião ascendente a antigos costumes romanos.

No Brasil, de uns dois anos para cá o varejo incorporou ao nosso calendário a Black Friday. E adivinhem só, a maioria das pessoas não sabe o porquê deste nome. Aliás, arrisco dizer que as pessoas mal sabem o que seria a tradução literal de Black Friday, no caso, sexta-feria negra.

A Black Friday nos USA, é a sexta-feira pós dia de Ação de Graças, feriado comemorado por aquelas bandas, e em sua origem, celebra a boa colheita realizada pelos colonos americanos dos idos anos 1620. Como todo feriado americano envolve muita comida e é celebrado toda quarta quinta-feira de novembro.

As origens do termo Black Friday diferem muito, há histórias de que tudo isso começou devido a troca de vermelho para negro nos livros de registro de lucros das empresas, por causa das boas vendas pré-natal e há outra história que envolve Filadélfia, caos, loucura e polícia.

Originalmente o termo Black Firday foi inventado pela Polícia de Filadélfia , e designa o dia após o Thanksgiving em que o Departamento de Polícia da Filadélfia registrava terríveis congestionamentos, calçadas superlotadas e  a zona que era aquela cidade nos anos 1960, especificamente em 1966, quando o termo ficou mais famoso. 

Um nome desses não podia ser boa coisa. E foi assim, que o consumismo desenfreado inventou mais um dia para o povão gastar o dinheiro que não tem, deixar empresários ainda mais rico e proporcionar cenas como essas:



28 de nov de 2013

O que faremos hoje cérebro?


POR QUE O LULU ASSUSTA TANTO?



Um aplicativo está fazendo sucesso com a mulherada. O Lulu foi lançado no Brasil recentemente e permite as mulheres avaliarem os homens em muitos aspectos. E, por outro lado, vem causando a revolta e até mesmo medo entre os meninos.

Não vou entrar em uma discussão entre machismo e feminismo. Porque quanto ao feminismo tenho pouco conhecimento de  causa, quanto ao machismo as pessoas podem me considerar suspeito sobre minha opinião. 



O mundo ocidental é machista, é difícil refutar essa sentença. Para se ter uma ideia, até teorias sobre a psiqué humana têm como bases um machismo eminente (mais informações aqui e aqui,) nossa sociedade gira em torno de uma supervalorização do homem e uma diminuição do feminino. 

O grande problema é a superexposição. Anonimamente você, homem, será avaliado nos seus pontos positivos e negativos. E desta vez, o poder está totalmente nas mãos delas. Há um desconforto nessa situação. Mas por quê?

Pela primeira vez os homens serão descaradamente avaliados por aquelas que já tiveram contato. Pela primeira vez a voz feminina será ouvida publicamente e elas não poderão ser julgadas como putas porque os comentários e avaliações serão anonimas.


De certa forma, os homens já fazem isso. Mas como um amigo me disse, "não precisamos de aplicativos para isso, nós chamamos isso de conversa de bar." E além da conversa de bar, alguns homens sem caráter, usam da internet para expor e chantagear mulheres, inclusive há casos de meninas se matando por causa de episódios de vídeos vazados.


Coincidência ou não Pc Siqueira fez um vídeo abordando o assunto, e que merece tua visualização:









O motivo pelo qual muitos homens andam assutados com esse app é que pela primeira vez eles estão do outro lado da vitrine. Pela primeira vez eles estão assim:




Agora é a vez delas. Vivam com isso!

(Para quem não conhece, esse é o Red Light District em Amsterdã. Conhecido mundialmente pelas vitrines que as garotas expõem seus corpos.)























26 de nov de 2013

A ESCROTIDÃO DO MERCADO IMOBILIÁRIO: TROCA DE NOMES PARA MELHOR VENDER




Os veteranos de guerra dos EUA sofrem bastante com o descaso de seu governo, em um post mostramos como ao decorrer dos anos os nomes das condições pós-guerras foram mudando e, a cada vez, que o nome mudava parecia haver uma diminuição da dor e a exclusão do sujeito humano .
Este post não é sobre guerra, mas aborda uma questão de troca de nomes também. O mercado imobiliário adora fazer esse tipo de coisa também, renomear para renovar, renovar para vender mais caro e mais.
Já tive a oportunidade de visitar Nova York e por um destes tours, o guia nos conta como os bairros do Brooklyn foram tendo seus nomes trocados para melhor atender as expectativas dos investidores.
Não precisamos ir muito longe para ver esse fenômeno, houve uma época que a Petrobrás cogitou trocar seu nome para Petrobrax com o intuito de atender interesses de investidores estrangeiros (http://relacionamento.petrobras.com.br/memoria/minisites/memoria/marca/90_03.html). Felizmente isso não aconteceu.
Voltando ao Brooklyn, muitos escritórios de corretores mudavam os nomes dos bairros com a finalidade de reinventarem um padrão de vida daquele lugar ( http://www.businessinsider.com/gentrification-has-made-this-old-brooklyn-neighborhood-unrecognizable-2012-3). Inclusive, até mesmo o famoso bairro do Soho passou por esse processo.


O processo em questão tem um nome: Gentrificação. Essa bagunça toda tem a finalidade de criar um “fenômeno que afeta uma região ou bairro pela alteração das dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou construção de novos edifícios, valorizando a região e afetando a população de baixa renda local. Tal valorização é seguida de um aumento de custos de bens e serviços, dificultando a permanência de antigos moradores de renda insuficiente para sua manutenção no local cuja realidade foi alterada (http://pt.wikipedia.org/wiki/Gentrifica%C3%A7%C3%A3o)

A verdade é a seguinte. Durante toda a minha vida morei em um bairro popular de Serra. O nome do Bairro é Novo Horizonte. Este bairro tem suas mazelas conhecidas, afinal durante toda sua história foi palco de bizarrices e casos violência. Apesar disso tudo, é um bairro muito bom de se morar. Recentemente (2008-2013) recebeu obras de urbanização: todas as ruas foram pavimentadas, esgoto, posto de saúde, uma bela praça, novo campo de futebol, reforma e criação de escolas, etc.
O bairro já era prospero na área comercial antes disso tudo acontecer. Mas durante esse período, o comercio se fortaleceu ainda mais( quanto a isso comerciantes de pequeno porte discordam). Hoje, Novo Horizonte é uma espécie de centro da periferia. Seu comércio abastece a região que engloba Novo Horizonte, Cidade Continental, Carapebus, Balneário de Carapebus, Biganca e São Diogo; e estes bairros são enormes em extensão e população: é uma oportunidade muito boa para aqueles que antes desprezavam essa região de Serra, ou seja, os supermercados e empreendimentos de médio porte. Aí que o drama começa!.

Com o boom do crédito e a expensão da classe média, estes empreendimentos migraram todos para o famigerado Novo Horizonte, acabando com os comércios locais, mas de certa forma“promovendo” o “ “ “ progresso””” da região.
Daí temos a construção de um condomínio-clube na entrada do bairro, e logo em seguida, a construção de um Strip Mall, tudo isso com nomes ingleses, sendo que poucas pessoas daqui sequer falam corretamente o português; é triste mas é verdade! Não satisfeitos com isso, um supermercado de uma franquia bem forte do ES resolve abrir uma loja por essas bandas. E o que eles fazem? Oras, ao invés de dizerem “nova em Loja Novo Horizonte”, ou “conheçam nossa unidade em São Diogo”, inauguram a loja com o nome de Plaza Center Mall (nome fictício, mas vocês têm uma ideia do que estou falando).

Jamais esperaria ver isso acontecer, mas hoje Novo Horizonte é alvo de Gentrificação e especulação imobiliária. E o que vai acontecer daqui para frente? Provavelmente essa população original dali migrará para outro ponto da cidade, pois de pouco a pouco está ficando muito caro morar por essas bandas.

UMA PEQUENA AULA DE FILOSOFIA DA LINGUAGEM



Há uma condição no combate, que muitas pessoas conhecem: é quando o sistema nervoso de um combatente é forçado em seu absoluto pico e máximo que a pessoa não pode mais receber informação. o sistema nervoso ou colapsou ou está quase falindo. na primeira grande guerra essa condição foi conhecida como showshock. simples, honesto e de linguagem direta. duas sílabas, showshock. soa quase como as armas usadas na guerra. isso foi há 70 anos atrás. então, toda uma geração se passou e a segunda grande guerra aconteceu e a mesmíssima condição era chamada de battle fatigue. quatro sílabas agora, demora um pouquinho a mais para dizer e parece não doer tanto quando antes. fatigue é uma palavra mais agradável que shock: showshock... fatigue

Daí nós tivemos a guerra na Coreia em 1950. a avenida Madson vivia seus dias de glória à época e a mesmíssima condição foi batizada de operational exhaustion. hey! nós temos 8 sílabas agora! e a humanidade foi completamente esvaziada da frase, agora é estéril: operational exhaustion. parece que isso pode acontecer com o seu carro!

E claro, veio a guerra no Vietnam que foi finalizada há 16, 17 anos atrás, e graças às vidas e as perdas daquela guerra, não é supresa que a mesmíssima condição fora chamada de post-traumatic stress disorder, ainda oito sílabas, mas agora nós adicionamos um hífen e a dor está completamente enterrada sob o jargão: post-traumatic stress disorder. aposto com vocês, se ainda chamássemos isso de showshock os veteranos do Vietnam teriam tido a atenção que eles precisaram desde aquela época


Transcrição nossa.

CÍNICOS E CÃES: ELES SÃO FELIZES.





Mal sabe a grande maioria das pessoas que ser cínico é levar um estilo de vida bem simplista: como a de um cão.
Já explico, o cinismo é uma corrente filosófica que defendia a simplicidade no viver. Suas concepção de fim de homem mira somente a virtude como algo valoroso, fora da virtude não há bens, não há riqueza. Por isso, os cínicos desprezavam qualquer tipo de riqueza, qualquer forma de acumular poder, e ainda, julgavam que as convenções humanas eram futilidades; levavam vidas tão simples quanto os cães que perambulavam pelas cidades. Daí os filósofos cínicos serem figuras tão peculiares.

A preocupação do cínicos em atingir um estado ideal era tão absurda que há uma lenda cuja a narrativa conta o encontro do Imperador Alexandre, grande com Diógenes (um dos mais famosos cínicos). Nesse encontro, o filósofo se encontra deitado no chão e Alexandre pergunta o que ele poderia fazer para tornar o filósofo contente; Diógenes poderia pedir qualquer coisa. O filósofo pediu que o imperador se movesse, pois ele estava atrapalhando a luz a chegar ao pensador.

Essa lenda tem uma interpretação bem batida pela história da filosofia, e é uma metáfora de como o poder, riqueza e ostentação podem nos afastar da luz. A luz sendo um símbolo do conhecimento, do autoaperfeiçoamento, da sabedoria.

O cinismo foi tomando um áurea pejorativa pela total falta de “noção” de seus praticantes. Eles eram totalmente alheios as convenções sociais. Há relatos de que os cínicos se alimentavam sem utensílios, comiam sem preparar os alimentos, não queriam posições estáveis, não trabalhavam, e vagavam de cidade em cidade como cães vira-latas. Foi a partir de então que o adjetivos cínico se tornou algo negativo.

Pode ser muita coincidência, mas as redes sociais fizeram este texto aqui bem famoso:




Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio.
Experimente a sensação do ar fresco e do vento na sua face por puro prazer.
Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudá-lo.
Quando houver necessidade, pratique a obediência.
Deixe os outros saberem quando invadirem o seu território.
Sempre que puder, tire uma soneca e se espreguice antes de se levantar.
Corra, pule e brinque diariamente.
Coma com gosto e entusiasmo, pare quando estiver satisfeito.
Seja sempre leal.
Nunca finja ser o que você não é.
Se o que você deseja está enterrado, cave até encontrar.
Quando alguém estiver passando por um mal dia, fique em silêncio, sente-se
próximo e gentilmente tente agradá-lo.
Quando chamar a atenção, deixe alguém tocá-lo.
Evite morder quando apenas um rosnado resolver.
Nos dias mornos, deite-se de costa sobre a grama.
Nos dias quentes, beba muita água e descanse embaixo de uma árvore frondosa.
Quando estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
Não importa quantas vezes for censurado, não assuma a culpa que não tiver e não
fique amuado… corra imediatamente para os seus amigos.
Alegre-se com o simples prazer de uma caminhada.



É um excelente texto de autoajuda e convenceu muitas pessoas, mas será que lá no fundo elas estão sabendo que estão sendo cínicas ao praticar um estilo de vida parecida com a de um cão?

para mais informações sobre o episódio entre o Imperador e Diógenes: http://www.issocompensa.com/2011/09/diogenes-o-cinico-e-o-imperador.html